Programa de Domingo

2 Comments

Como prometido no último post, cá estou eu para apresentar minha série preferida. Hoje serei eu e o Doutor.

Doctor é uma série inglesa, exibida pela BBC no horário nobre. Muito popular por lá, que agora ganha uma grande atenção aqui no Brasil. DW tem cinquenta um aninhos, uma vida longa quando se fala de séries. Ah, claro, já ia esquecendo, o Doctor não é realmente um médico mal humorado, isso aqui é ficção científica pura!

Tá legal, eu falei que gostava de coisas estranhas, e Doctor Who talvez seja uma das coisas mais estranhas que já vi.


Se você é de se apegar muito ao ator que interpreta seu personagem preferido, nem pense em assistir Doctor Who, ou aprenda a conviver com a dor de ver seu herói trocar de face, com 11 doutores totalmente diferentes na história, atualmente estamos convivendo com o novíssimo 12º Doutor interpretado por Peter Capaldi.

Como eu iniciei minha saga com o doutor pela série contemporânea, é a ela que vou me ater, não estou dizendo que não respeito a série clássica, até porque foi lá que tudo começou, e eu realmente amo tudo sobre Doctor Who. É que aqui, vou contar um pouco minha história de paixão e ódio pela série e foi com Chistopher Eccleston que a magia me pegou por completo.


Depois de algum tempo fora do ar, Doctor Who voltou as telinhas da Grã-Bretanha em 2005. Eu descobri a série em 2006, por Tom Fletcher do McFLY. Estava começando a ouvir o som da banda, e como toda fã, eu queria saber do que meus ídolos gostavam, e dei de cara com a série que contava a história de um alien, de dois corações que tinha uma nave capaz de viajar no espaço/tempo, a curiosidade bateu na mesma hora, eu precisava assistir essa série. Mas como vocês vão poder perceber nos próximos posts, eu sou uma criatura muito preguiçosa para assistir coisas. Dito isso, comecei a assistir Doctor Who no fim de 2011, passou pouco tempo né? Dois meses depois (mesmo com aula e tudo, na época eu estudava de manhã e a tarde) eu cheguei na metade da quarta temporada. Quem lembra sabe do terror que foi passar pela lei SOPA, que deletou todos os filmes e séries que não tinham os direitos reservados e queria acabar com o Youtube. Para minha felicidade  um mês depois de eu já ter desistido de Doctor Who, a TV Cultura comprou os direitos da série, e eu pude assisti-la inteira e ainda ter tempo para esperar a temporada que ia estrear naquele ano. Desde então, o desespero só bateu quando meu doutor preferido, que foi interpretado por David Tennant, se regenerou. Mesmo assim, eu me acostumei com o doutor de Matt Smith, e no fim comecei a gostar dele. Assim acontece sempre quando um doutor se regenera. O importante é que a série complete mas cinquenta anos, porque sinceramente, ela é de outro mundo.

É isso aí meu queridos, daqui quinze dias eu volto para falar do filme Insurgente que vai estar nos cinemas a partir de semana que vem. Fui!!!


You may also like

2 comentários:

  1. No meu caso eu conheci a série quando ela começou a ser transmitida e acabei não vendo, mas depois de tantos booktubers amarem a série comecei a ver esse ano e tô amando! Uma pena é que não tenho tempo para maratonas :/

    Beijão
    Blog: Dei um Jeito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, também me falta tempo para maratonas, mas eu amo demais essa série.

      Excluir